terça-feira, 26 de abril de 2016

Guia de Aves da Estação Ecológica de Carijós

Fernando Bittencourt de Farias, Patrícia Pereira Serafini, Daniele Paludo, Edinéia Caldas Correia e Sílvio de Souza Junior. Guia de Aves da Estação Ecológica de Carijós. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2015.

domingo, 24 de abril de 2016

Distribuição da avifauna em ambientes fragmentados de Floresta Ombrófila Mista na Bacia Hidrográfica do Rio Forqueta, RS, Brasil

MOHR, Luciane Rosa Da Silva. Distribuição da avifauna em ambientes fragmentados de Floresta Ombrófila Mista na Bacia Hidrográfica do Rio Forqueta, RS, Brasil. 2013.

As aves do ambiente costeiro do Brasil: biodiversidade e conservação

VOOREN, Carolus Maria; BRUSQUE, Luciano Ferreira. As aves do ambiente costeiro do Brasil: biodiversidade e conservação. Trabalho realizado para o Programa Nacional da Diversidade Biológica—PRONABIO, Subprojeto “Avaliação e Ações Prioritárias para a Zona Costeira e Marinha”, área temática “Aves marinhas”. Aves marinhas, 1999.

Plano de ação nacional para a conservação dos passeriformes ameaçados dos campos sulinos e espinilho

Plano de ação nacional para a conservação dos passeriformes ameaçados dos campos sulinos e espinilho /
Claiton Martins-Ferreira ... [et al.]; organizadora Patricia Pereira Serafini. – Brasília : Instituto Chico Mendes
de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, 2013.

Os Campos do Sul

Os Campos do Sul  Editores Valério De Patta Pillar e Omara Lange - Porto Alegre: Rede Campos Sulinos - UFRGS, 2015. 192 p.il. ISBN-978-85-66106-50-3

Aves migratórias no Pantanal: distribuição de aves limícolas neárticas e outras espécies aquáticas no Pantanal

LOS BÚHOS NEOTROPICALES DIVERSIDAD Y CONSERVACIÓN

Enríquez, Paula L.  Los Búhos Neotropicales: Diversidad y Conservación. Ilustraciones y diseño de portada: Rina Pellizzari Raddatz. San Cristóbal de Las Casas, Chiapas, México. Primera edición, 2015. ISBN 978-607-8429-16-5

Guia de Aves da Mata Atlântica Paulista: Serra do Mar e Serra de Paranapiacaba

Revisão e atualização da lista das aves do Rio Grande do Sul, Brasil

BENCKE, Glayson A. et al. Revisão e atualização da lista das aves do Rio Grande do Sul, Brasil. Iheringia, Série Zoologia, v. 100, n. 4, p. 519-556, 2010.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Segue abaixo o cronograma das saídas previstas para o ano de 2016.


Data Local
17/01/2016 RPPN da UNISC em Sinimbu (relato)
14/02/2016 Morro Gaúcho em Arroio do Meio (relato)
13/03/2016 Perau da Nega em Boqueirão do Leão (não ocorreu por causa do mau tempo)
10/04/2016 Tamanduá em Marquez de Souza (relato)
08/05/2016 Vida Nova em Santa Cruz do Sul (relato)
junho Observação de aves no RVS Banhado dos Pachecos (relato)
10/07/2016 Lagoa da Harmonia em Teutônia (relato)
14/08/2016 Tentamos ir na RPPN Ronco do Bugiu em Santa Cruz do Sul (não conseguimos ir em virtude do mau tempo). Realizamos uma saída extra para os município de Pareci Novo e Bom Princípio (relato)
11/09/2016  Lagoa do Coração em Rio Pardo (relato)
22/10/2016 Perau de Janeiro em Arvorezinha juntamente com os Observadores de Aves do Planalto Médio (evento Facebook)
Feriado de Finados Espinilho/ FLONA - São Francisco de Paula
11/12/2016 Jardim Botânico em Lajeado

Conservação de aves migratórias Neárticas no Brasil.

VALENTE, R. M. et al. Conservação de aves migratórias Neárticas no Brasil. Conservação Internacional, Belém, 2011.

Áreas Importantes para a Conservação das Aves no Brasil, Parte I–Estados do Domínio da Mata Atlântica

Guía de las aves playeras y marinas migratorias del sur de América del Sur

PETRACCI, P. F.; CANEVARI, M.; BREMER, E. Guía de las aves playeras y marinas migratorias del sur de América del sur. Escuelas Hermanas de Aves Playeras, 2005.

domingo, 17 de abril de 2016

          O COA Vales é um Clube de Observadores de Aves dos Vales do Taquari e Rio Pardo. O COA Vales possui membros espalhados pelos Vales e se reúne mensalmente para realizar saídas de observação. Nas saídas realizamos observações, compartilhamos informações e conhecimentos além de possibilitar a vivência a todas as pessoas que tenham interesse de participar.

          Nossos objetivos visam promover a observação e o estudo de aves silvestres em liberdade e dos ambientes naturais que elas ocupam; estimulamos o aprimoramento da legislação ambiental e exigimos o cumprimentos das mesmas; combatemos e desestimulamos a destruição e o uso irresponsável dos ambientes naturais e buscamos promover a conservação e o respeito à liberdade das aves silvestres; incentivamos a criação de novas áreas de proteção ambiental, tanto pública quanto privadas além de buscar e incentivar o intercâmbio científico e cultural com as instituições afins.

Avifauna da RPPN da UNISC, Sinimbu, Rio Grande do Sul, Brasil

OLIVEIRA, Samuel Lopes; KÖHLER, Andreas. Avifauna da RPPN da UNISC, Sinimbu, Rio Grande do Sul, Brasil. Biotemas, v. 23, n. 3, p. 93-103, 2010.

AVIFAUNA NO CAMPUS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES, LAJEADO, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

Bica, J. B., de Carvalho Konze, J., Silva, D. E., Corrêa, L. L. C., & Grillo, H. C. Z. (2014). AVIFAUNA NO CAMPUS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES, LAJEADO, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL. Caderno de Pesquisa, 26(1), 29-35.

Saída de Observação de Aves em Tamanduá - Marques de Souza

           Neste domingo realizamos a saída a campo mensal do COA Vales. Foi um dia de contato com a natureza, rever os amigos e tirar o pé do acelerador. Foi um dia para aproveitar bons momentos e curtir o que a natureza nos oferece.
            A "passarinhada" contou com a presença de 6 integrantes do COA Vales (Alexandre, Astor, Cleberton, Gabriela, Morci e Samuel) além de dois amigos que vieram de Bom Princípio (Carlos e Eduardo). Nossa saída aconteceu em duas partes, manhã e tarde.
           Durante a manhã fomos para Tamanduá, em Marques de Souza, conforme trajeto especificado na figura 1. A área escolhida fica na encosta e apresenta vegetação em diferentes estágios, estando em alguns lugares em estágios avançados e outras em estágios iniciais de regeneração.
Figura 1: Localização e caracterização do local onde realizamos a observação na parte da manhã.
           Durante a manhã encontramos 71 espécies, sendo que ficamos das 7h até às 11h15min observando. A manhã rendeu poucas fotografias, mas os "bichanos" vocalizavam muito instigando nossos ouvidos.
Figura 2: Poecilotriccus plumbeiceps (tororó) dando o ar da graça, aliás, dando mole pra foto. Foto: Cleberton Bianchini

Figura 3: Picumnus temminckii (pica pau anão de coleira). Mais um dando muito mole para fotografia, foram poucas fotografias, mas que valeram. Foto: Cleberton Bianchini.
           Não foram muitas fotografias, ao menos da minha parte, mas os fulanos deram muito mole em vários momentos. Fomos presenteados com instantes de pura graça, como o caso do P. temminkii acima, que ficou por vários segundos se alimentando em um galhito seco.
          Abaixo segue a lista de espécies observadas em Tamanduá.

NOME DO TÁXON NOME COMUM
Tinamidae
Crypturellus obsoletus inambuguaçu
Charadriidae
Vanellus chilensis quero-quero
Columbidae
Columbina talpacoti rolinha
Columbina picui rolinha-picuí
Patagioenas picazuro asa-branca
Cuculidae
Piaya cayana alma-de-gato
Crotophaga ani anu-preto
Trochilidae
Stephanoxis lalandi beija-flor-de-topete-verde
Leucochloris albicollis beija-flor-de-papo-branco
Trogonidae
Trogon surrucura surucuá-variado
Alcedinidae
Megaceryle torquata martim-pescador-grande
Picidae
Picumnus temminckii picapauzinho-de-coleira
Veniliornis spilogaster picapauzinho-verde-carijó
Colaptes campestris pica-pau-do-campo
Falconidae
Milvago chimachima carrapateiro
Psittacidae
Triclaria malachitacea sabiá-cica
Thamnophilidae
Dysithamnus mentalis choquinha-lisa
Thamnophilus ruficapillus choca-de-chapéu-vermelho
Thamnophilus caerulescens choca-da-mata
Batara cinerea matracão
Mackenziaena leachii borralhara-assobiadora
Drymophila malura choquinha-carijó
Conopophagidae
Conopophaga lineata chupa-dente
Formicariidae
Chamaeza campanisona tovaca-campainha
Dendrocolaptidae
Sittasomus griseicapillus arapaçu-verde
Furnariidae
Furnarius rufus joão-de-barro
Philydor rufum limpa-folha-de-testa-baia
Synallaxis ruficapilla pichororé
Synallaxis cinerascens pi-puí
Synallaxis spixi joão-teneném
Tityridae
Schiffornis virescens flautim
Pachyramphus viridis caneleiro-verde
Pachyramphus castaneus caneleiro
Pachyramphus polychopterus caneleiro-preto
Cotingidae
Carpornis cucullata corocoxó
Platyrinchidae
Platyrinchus mystaceus patinho
Rhynchocyclidae
Leptopogon amaurocephalus cabeçudo
Phylloscartes ventralis borboletinha-do-mato
Tolmomyias sulphurescens bico-chato-de-orelha-preta
Poecilotriccus plumbeiceps tororó
Tyrannidae
Pitangus sulphuratus bem-te-vi
Megarynchus pitangua neinei
Vireonidae
Cyclarhis gujanensis pitiguari
Hylophilus poicilotis verdinho-coroado
Corvidae
Cyanocorax caeruleus gralha-azul
Troglodytidae
Troglodytes musculus corruíra
Turdidae
Turdus leucomelas sabiá-branco
Turdus rufiventris sabiá-laranjeira
Turdus amaurochalinus sabiá-poca
Passerellidae
Zonotrichia capensis tico-tico
Parulidae
Setophaga pitiayumi mariquita
Basileuterus culicivorus pula-pula
Myiothlypis leucoblephara pula-pula-assobiador
Icteridae
Cacicus chrysopterus japuíra
Thraupidae
Pipraeidea bonariensis sanhaço-papa-laranja
Tangara sayaca sanhaço-cinzento
Sicalis flaveola canário-da-terra
Haplospiza unicolor cigarra-bambu
Hemithraupis guira saíra-de-papo-preto
Tachyphonus coronatus tiê-preto
Dacnis cayana saí-azul
Coereba flaveola cambacica
Saltator similis trinca-ferro
Saltator maxillosus bico-grosso
Microspingus cabanisi quete-do-sul
Pyrrhocoma ruficeps cabecinha-castanha
Cardinalidae
Habia rubica tiê-de-bando
Fringillidae
Spinus magellanicus pintassilgo
Euphonia chlorotica fim-fim
Euphonia chalybea cais-cais
Chlorophonia cyanea gaturamo-bandeira
Figura 4: Participantes da observação na parte da manhã em Tamanduá. Presentes (da esquerda para direita) Cleberton, Gabriela, Carlos, Eduardo, Morci, Samuel e Astor.
        Após encerarmos as atividades em Tamanduá, rumamos para um almoço. Depois, alguns integrantes seguiram para o Morro Leão, no município de Capitão. Durante a tarde avistamos cerca 31 espécies encerando as atividades por volta das 17h.
          Foi um bom dia de observação, realizamos várias observações, escutamos várias melodias diferentes, avistamos muitas cores e comportamentos, além de, chegarmos em casa com o corpo cansado mas a mente e a alma leves por mais um dia fazendo o que gostamos. Obrigado amigos pela maravilhosa companhia. Até a próxima......

Primeiros registros do uirapuru-laranja, Pipra fasciicauda (Passeriformes: Pipridae), no Rio Grande do Sul.

Meller, D.A.; Kuhn, C.N.; Bianchini, C. e Callegaro, A. (2016) Primeiros registros do uirapuru-laranja, Pipra fasciicauda (Passeriformes: Pipridae), no Rio Grande do Sul. Atualidades Ornitológicas, 189:26.