sábado, 30 de julho de 2016

Observação de aves na Laoga da Harmonia - Teutônia

        No domingo dia 17 aconteceu a saída mensal para observação de aves do COA Vales. Desta vez fomos para o município de Teutônia, local que ainda não havíamos realizado observação com o COA. O dia começou gelado e só piorou na medida que saia o sol e o vento aumentava.
        Nossa saída deste mês foi para a Lagoa da Harmonia. O local é turístico e bastante conhecido no vale do taquari e até fora dele. Dentre outros atrativos, é possível realizar uma trilha com cerca de 2 km no topo do morro em meio a vegetação nativa e pequena parte entre exemplares de pinus. A trilha não é difícil e encontra-se bem aberta.
        Chegamos ao local por volta das 7 horas da manhã, nos concentramos em frente ao restaurante e depois decidimos dar a volta na lagoa para esperar clarear um pouco mais. Realizamos diversas observações no decorrer do percurso, dentre elas Turdus rufiventris (sabiá laranjeira), Thamnophilus caerulescens (choca da mata), Turdus albicollis (sabiá coleira), Tachyphonus coronatus (tiê preto) e ainda escutamos o Micrastur ruficollis (falcão caburé), Triclaria malachitacea (sabiá cica) e algumas Pyrrhura frontalis (tiriba de testa vermelha) que passaram voando. No finalzinho da lagoa encontramos dois indivíduos de Lochminas nematura (joão porca) dando show na cascatinha.

Lochmias nematura (joão porca) vivendo perigosamente na cascatinha da Lagoa.

Vista parcial da lagoa e da vegetação atrás do restaurante.
         Então, seguimos para a trilha. Neste momento o dia estava mais claro, no entanto o vento também havia aumentado. Seguimos pela trilha escutando e observando poucas espécies até o topo. Na subida avistamos um indivíduo de Piculus aurulentus (pica pau dourado) mas também escutamos mais três respondendo ao canto deste. Também escutamos a Chamaeza campanisona (tovaca campainha), Xiphorhynchus fuscus (arapaçu rajado), Dysithamnus mentalis (choquinha lisa) e alguns indivíduos de Pionopsitta pileata (cuiú cuiú) que sobrevoaram a área. Quando chegamos ao topo, paramos um pouquinho para contemplar a vista.
Vista panorâmica da trilha.

Apreciando a vista de um dos pontos propícios para tal na trilha.
         Retomamos a caminhada e logo de cara encontramos um indivíduo da Drymophila malura (choquinha carijó) embretada nas capoeiras a poucos centímetros de nós. Enquanto tentávamos avistá-la, apareceu um Stephanophorus diadematus (sanhaçu frade) e ficou se exibindo alguns instantes além de nos presentear com algumas notas do seu canto. Fazia dias que não avistávamos esta espécie para o vale e foi muito legal reencontrá-la.
         Seguimos pela trilha e fomos observando o que aparecia. Pelo caminho encontramos alguns Sclerurus scansor (vira folha) que deram uma aula de camuflagem pra gente. Escutamos também o Trogon surrucura (surucuá variado), Tangara preciosa (saíra preciosa), Euphonia pectoralis (ferro velho) e os  Triclaria malachitacea (sabiá cica) que nos acompanhavam ao longo da trilha. Quase no final, avistamos um Xenops rutilans (bico virado carijó) se exibindo pra nós.
Participantes da saída neste dia gelado, da direita para a esquerda Isadora, Karin, Astor, Morci, Gabriela, Alexandre e Cleberton. Fotografia da Gabriela dos Santos.
         Depois que terminamos a trilha, resolvemos fazer um lanche e aproveitar para nos aquecermos um pouco no sol. Então, decidimos subir até as antenas. Na subida ainda avistamos Setophaga pitiayumi (mariquita), Ramphastos dicolorus (tucano de bico verde), Leptopogon amaurocephalus (cabeçudo), Synallaxis ruficapilla (pichororé) e Synallaxis spixi (joão teneném).
Vista panorâmica das antenas, para a cidade de Teutônia.

Vista panorâmica das antenas.
Vista panorâmica da Lagoa da Harmonia.
            Ao final da manhã, resolvemos que a saída deveria terminar neste momento, visto que o tempo frio e com bastante vento não contribuía para a observação.
       Nesta manhã observamos 49 espécies, com destaque para Piculus aurulentos e Triclaria malachitacea (sabiá cica) que estão enquadrados na categoria quase ameaçados a nível mundial. A lista completa pode ser acessada aqui.

       Nosso próximo encontro será em agosto e o local ainda está sendo definido. Pretendemos ir na RPPN Ronco do Bugiu em Venâncio Aires, mas dependemos de autorização para tal.